Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Monte Mor / SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Monte Mor / SP
Acompanhe-nos:
Rede Social YouTube
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
AGO
22
22 AGO 2022
SAÚDE
Controle de Endemias de Monte Mor participa de campanha da Semana Estadual de Enfrentamento ao Escorpião
enviar para um amigo
receba notícias

Neste dia 22 de agosto, o Governo do Estado de São Paulo lança campanha de enfrentamento ao escorpião, com informações sobre prevenção, cuidados, combate e primeiros socorros em caso de acidente.  

A campanha, que vai até o dia 26 de agosto, tem o objetivo de conscientizar a população com relação aos perigos enfrentados em acidentes com escorpião, especialmente aqueles relacionados aos mais vulneráveis, como crianças e idosos.

Esse tipo de acidente recebe o nome técnico de “acidente escorpiônico ou escorpionismo”, que é o envenenamento provocado por um escorpião quando este injeta seu veneno por meio de seu ferrão.

No estado de São Paulo, os encontros com escorpião não possuem um período específico para acontecer, já que a incidência das duas principais espécies de escorpião, o tityus serrulatus e o tityus bahiensis, se dá no ano todo. Mas, de forma especial, eles costumam aparecer mais nos meses de agosto e setembro, período de reprodução das duas espécies.

TITYUS SERRULATUS

O escorpião tityus serrulatus é conhecido popularmente como escorpião amarelo. Ele possui pernas e cauda amarelo-claras e o tronco escuro. Podem medir até 7 centímetros de comprimento e, no estado de São Paulo, é responsável pela maior parte dos acidentes. Tendo um veneno bastante tóxico, ele é considerado o escorpião mais perigoso da América do Sul. 

TITYUS BAHIENSIS

O escorpião tityus bahiensis é conhecido como escorpião marrom ou preto. Possui o tronco escuro, pernas e cauda marrons avermelhados, com manchas escuras. Podem medir até 7 centímetros de comprimento. É mais comum em áreas rurais e, por essa razão, causam um número menor de acidentes.   

PREVENÇÃO, CUIDADOS E PRIMEIROS SOCORROS 

Com o avanço das cidades, invadido os habitats naturais do escorpião, o mesmo acabou se adaptando ao meio urbano, com muitos locais para se abrigar e alimento em abundância, principalmente baratas. 

A forma mais eficaz de acabar com o escorpião é a limpeza dos locais onde ele possa se abrigar, se alimentar e se reproduzir. Além de vedar ralos (de chão e pias), frestas e vãos (especialmente de portas e janelas) que permitam a entrada desses animais, que normalmente vêm das galerias de água e esgoto. 

ORIENTAÇÕES:  

Manter jardins e quintais limpos; evitar o acúmulo de entulhos, folhas secas, lixo doméstico e materiais de construção nas proximidades das casas; evitar folhagens densas (plantas ornamentais, trepadeiras, arbusto, bananeiras e outras) junto a paredes e muros das casas; manter a grama aparada; limpar periodicamente os terrenos baldios vizinhos, pelo menos, numa faixa de um a dois metros junto às casas; sacudir roupas e sapatos antes de usá-los, pois aranhas e escorpiões podem se esconder neles e picam ao serem comprimidos contra o corpo; não pôr as mãos em buracos, sob pedras e troncos podres, usando sempre calçados e luvas de raspas de couro para atividades em que seja preciso colocar a mão e pisar em buracos, entulhos e pedras.

O escorpião apresenta hábito noturno, e assim, para evitar sua entrada nas casas, deve-se vedar as soleiras das portas e janelas quando começar a escurecer; usar telas em ralos do chão, pias ou tanques; vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos e vãos entre o forro e as paredes, consertar rodapés despregados, colocar saquinhos de areia nas portas, colocar telas nas janelas; afastar as camas e berços das paredes; evitar que roupas de cama e mosquiteiros encostem-se ao chão; não pendurar roupas nas paredes; acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou outros recipientes que possam ser mantidos fechados, para evitar baratas, moscas ou outros insetos que servem de alimento para os escorpiões.

Também é bom preservar os inimigos naturais de escorpiões e aranhas: aves de hábitos noturnos (coruja, joão-bobo), lagartos, lagartixas e sapos.

GRUPO MAIS VULNERÁVEL 

As crianças são o grupo mais vulnerável em caso de picada de escorpião, principalmente porque as crianças até 10 anos, se não socorridas, podem vir a óbito.  

Algumas crianças também não sabem dizer o que aconteceu. Então fique atento. A dor local é um sintoma que aparece logo após a picada, em 100% dos casos. Em crianças ocorre choro abrupto e intenso, devido à dor. Normalmente a criança está brincando ou dormindo. Logo em seguida vai ocorrer agitação, ofegância e respiração e batimentos cardíacos aumentados.

Como as picadas são geralmente no pé ou na mão, observe se há vermelhidão, inchaço leve e aumento de temperatura no local. 

Posteriormente a estes sintomas poderão ocorrer também aumento do suor pelo corpo, vômitos (poucos ou muitos), agitação (devido à ansiedade, medo e dor) alternada com sonolência, tremores, produção excessiva de saliva (começa a babar).

PRIMEIROS SOCORROS 

Limpe o local da picada com água e sabão; aplique compressa morna no local; procure o serviço de saúde mais próximo para que a pessoa (especialmente se for criança) possa receber o tratamento o mais rápido possível. Se encontrar, leve o escorpião, vivo ou morto. 

Não faça torniquete ou garrote, não fure, não corte, não queime, não esprema o local da picada; não faça sucção no local da ferida; não aplique qualquer tipo de substância sobre o local da picada (fezes, álcool, querosene, fumo, ervas, urina, pó de café, terra), nem faça curativos que fechem o local, pois isso pode favorecer a ocorrência de infecções.

Não ingira bebida alcoólica, álcool puro, querosene, gasolina ou fumo no intuito de tirar a dor, pois além de não agir contra o veneno, ainda poderá causar complicações no quadro clínico. 

Por fim, não coloque gelo ou água fria no local da picada, pois acentua a dor.

Seta
Versão do Sistema: 3.2.8 - 16/11/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia