GUARDA CIVIL MUNICIPAL DE MONTE MOR FAZ NOVA AÇÃO DE COMBATE AO CEROL



Empinar pipa: uma das brincadeiras de criança mais antigas e prazerosas que existe vem expondo pedestres e motociclistas ao risco. O uso cada vez mais comum de cerol e de linha chilena vem colocando as autoridades em alerta. Para se evitar sérios acidentes e até a morte de pessoas, a Prefeitura de Monte Mor, por meio da GCM (Guarda Civil Municipal), está intensificando ações de combate ao uso de cerol e linhas cortantes em pipas.

De acordo com o secretário municipal de Segurança, Adelício Paranhos, os patrulheiros, aparados pela Lei Municipal nº 1.307, que proíbe o uso de cerol ou de outra substância cortante nas linhas de empinar pipas, estão orientados, em caso de flagrante, a realizar a recolha e apresentação do material na Delegacia do Município. “É expressamente proibido o uso do cortante em linhas para empinar pipas. A infração acarretará na apreensão do material e aplicação de multa no valor de R$ 200,00. Caso for reincidente a multa será de R$ 250,00”, destacou Paranhos.

Para buscar inibir e conscientizar os jovens para que não usem o cerol, a Guarda Civil Municipal realiza desde 2013 o Funam (Programa Municipal de Educação e Segurança com Cidadania – Futuro nas Mãos). Em sete anos cerca de 6 mil alunos do 5º ano da Rede Municipal de Ensino participaram das atividades.

“O Funam é um programa criado a partir da Lei Municipal nº 1704/2013 e um dos temas discutidos está voltado no alerta sobre os perigos do uso do cerol e das drogas lícitas, ilícitas e bebidas alcoólicas. O Funam orienta ainda sobre como combater o bullying, o preconceito, além de promover a cidadania, a amizade e o cuidado com o meio ambiente. É uma ação importante e que tem por meta conscientizar o jovem sobre os riscos e apresentar alternativas para se viver bem em sociedade”, explicou o secretário.

Além do trabalho desenvolvido pela Guarda Civil Municipal, o cidadão montemorense pode ajudar a fiscalizar, denunciando, junto ao telefone (19) 3879- 2823 (da Guarda) ou pelo disque denúncia Whatsapp (19) 99704-6210.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *